Sejam bem-vindos!

Olá...sejam bem-vindos ao Biamputado....um blog de solidariedade.

Pretende-se torna-lo um espaço de esperança para com todos que passaram, passam ou passarão por esta experiência. Conta a minha história, a minha luta diária! É um projecto conjunto de Norberto Mourão e Olinda Guedes e surgiu no âmbito académico, é também um espaço de debate e entre-ajuda!
Contámos contigo! Porque a vida só tem sentido quando ajudamos alguém.
Quem quiser contribuir, por pouco que seja para a minha recuperação, desde muito obrigado
NIB: 0033 0000 45315828628 05
IBAN: PT50 0033 0000 4531 5828 6280 5



Candidatura para o "Querido mudei a cozinha"

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Fisioterapia - 21º dia (31 - 12 - 2010)

Olá a todos os visitantes do "Biamputado"

Hoje foi o último dia do ano, um dia muito bom na fisioterapia em que fiz coisas novas.

Tal como ontem, comecei a andar nas barras sem as canadianas, apenas apoiado nas mãos de terapeuta, em seguida ela foi-me levando até ao corredor (fui só para o pequeno porque o chão estava molhado), ao chegar lá a terapeuta deixou-me sozinho e sem as canadianas, para eu andar apenas com uma mão no corrimão e sem qualquer apoio do outro lado, consegui para ambos os lados apesar do receio inicial.

Quando a terapeuta voltou não trouxe as canadianas, fui com ela para as escadas e subi até ao primeiro andar utilizando apenas o corrimão do lado direito e uma tábua que existe do lado direito. Foi mais fácil mas subir assim obrigava-me a fazer mais força na prótese esquerda, quando voltar a subir só com as canadianas talvez já consiga fazer a força necessária para não esforçar tanto os braços e me equilibrar melhor. A descida também foi mais simples, mas descer sem as canadianas implica avançar mais a prótese direita, o que não é fácil uma vez que não tenho qualquer alavanca que me ajuda a avançar a prótese.

Depois das escadas aproveitei para descansar um pouco até chegar lá um dos médicos, fui com ele tirar algumas fotos que irão ser usadas num congresso onde vão dar o meu exemplo como sendo um exemplo de sucesso, uma vez que consigo andar com as próteses, calça-las sozinho e a evolução tem sido muito positiva. Tiramos fotos tanto vestido com roupa normal como de calções com elas à mostra para se ter uma noção de como são as duas, também fizemos fotos nas escadas mas para ir até lá e uma vez que o chão estava molhado fui com as minhas mãos nas da terapeuta, já me sinto mais confiante, no regresso a terapeuta deu-me apenas uma das mãos, embora com receio consegui tão bem como no início quando comecei a andar agarrado às duas mãos dela.

Foi um dia muito positivo e deixa-me cheio de esperanças para o ano novo que já chega esta noite.

Muito obrigado a todos, um feliz ano novo.
Norberto Mourão

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Fisioterapia - 20º dia (30 - 12 - 2010)

Olá a todos os visitantes do "Biamputado"

Mais um dia de fisioterapia com muita chuva, não foi possível fazer um treino completo, mas o que foi possível fazer foi muito rentável.

O treino foi um pouco diferente, levantei-me nas barras e ao contrário dos outros dias não andei com as mãos nas barras, a terapeuta disse-me para andar sem as agarrar mas apoiava-me nas mãos dela, o apoio que necessito é muito pequeno e por isso ela disse-me para eu andar só com uma canadiana, eu ainda não me sinto confiante para tal, no início tive mesmo de me ir apoiando ao ombro da terapeuta, fui assim até ao corredor e lá já andei sozinho, tinha o corrimão para me apoiar sempre que era necessário e era necessário muitas vezes, no fim já consegui dar alguns passos sem estar com a mão encostada à parede ou ao corrimão.

Nas escadas tentei subir sem usar os apoios fixos, não consegui porque são estreitas e acabo sempre por encostar as canadianas às paredes, sempre que faço o impulso para o degrau de cima sem encostar num dos lados acabo por não ter força para subir, preciso fortalecer a perna da prótese esquerda para conseguir fazer força com ela e não precisar tanto dos braços, fui até ao primeiro andar e correu tudo bem. A descida também correu muito bem, só preciso das canadianas e não me encosto à parede nem ao corrimão, agora só preciso reduzir o tempo que demoro a descer, embora já não demore tanto ainda tenho de ser mais rápido.

Por último apenas treinei mais um pouco a andar sem uma das canadianas, já andei um pouco melhor, consegui mesmo andar só com a canadiana do lado esquerdo e depois só com a canadiana do lado direito, na primeira tentativa no início do treino apenas tinha conseguido com a canadiana no lado esquerdo, também usei muito menos o corrimão e consegui dar passos mais certos, no entanto também não consegui avançar a prótese direita para a frente da esquerda.

Muito obrigado a todos.
Norberto Mourão

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Fisioterapia - 19º dia (29 - 12 - 2010)

Olá a todos os visitantes do "Biamputado"

Hoje regressei à fisioterapia depois das mini-férias de Natal, nas quais fui "obrigado" a treinar na rampa, escadas e no piso completamente irregular que existe lá na aldeia, tive de utilizar todas as técnicas que me ensinaram na fisioterapia, foi muito bom, consegui evoluir mais um pouco e isso notou-se hoje durante a fisioterapia.

Comecei o meu treino fora das barras, levantei-me da cadeira e comecei a andar um pouco no ginásio, em seguida e depois de contar as minhas aventuras nas férias a terapeuta disse-me para irmos às escadas largas, para lá chegar tive de subir a rampa, consegui sem dificuldades. Já nas escadas experimentei subir conforme tinha feito nas férias, hoje a confiança eram muito maior e acabei por conseguir subir todos os degraus usando apenas as canadianas, sinto-me cada vez mais confiante, para descer também voltei a fazer o mesmo que fiz nas férias, só com as canadianas, meto-as no degrau de baixo, dobro ligeiramente o joelho esquerdo e coloco a prótese direita no degraus de baixo, em seguida desço a prótese esquerda, faço isso sucessivamente em todos os degraus até ao fundo das escadas. Ao voltar para o ginásio ainda precisava de descer a rampa, eu queria descer agarrado ao corrimão por causa do piso estar molhado, mas a terapeuta não deixou e tive de descer pelo meio, desci muito devagar e consegui descer tudo sem percalços pelo meio.

De volta ao ginásio andamos todos a treinar o equilíbrio usando as bolas e passando-a de uns para os outros, no início sentados e fazendo-a rodar à volta do corpo e em seguida passava-mo-la para outro, numa fase mais avançada estávamos todos em pé.

Ainda tive tempo para ir às escadas de madeira do outro ginásio, são umas escadas mais pequenas, num lado com degraus altos no outro baixos e são muito estreitas. Subi pelas baixinhas sem apoiar as canadianas nos corrimões e desci pelas altas sem precisar de me apoiar, nunca tinha conseguido sem me encostar, pois as escadas são muito estreitas. A subida foi feita pelas altas, já foi muito diferente, mais difícil e tive mesmo de apoiar as canadianas nos dois lados, não havia outra solução, por último desci pelas baixinhas e foi muito simples.

Foi assim o meu regresso das mini férias, o treino foi muito preenchido e muito positivo. Obrigado a todos por continuarem a seguir a minha evolução e por todo o apoio que me têm dado.
Norberto Mourão

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Fisioterapia - 18º dia (21 - 12 - 2010)

Olá a todos os visitantes do "Biamputado"

Hoje foi o meu último dia de fisioterapia antes do Natal, mas isso não fez com que me desleixa-se do treino.

Comecei o dia nas barras, mas andei lá pouco tempo porque já estava planeado para o início um treino no chão (deitar-me e levantar-me). Ao contrário da última vez que tinha tentado, hoje consegui passar bem para o chão, ainda que com uma mão na marquesa e outra na cadeira, em seguida meti-me de joelhos, foi muito simples e já consegui equilibrar-me muito bem, sem necessitar de estar agarrado, a partir daqui só me faltava levantar, tentei de várias formas, com a ajuda da terapeuta e agarrado ao standing acabei por me conseguir levantar, fazendo força na prótese esquerda e também com os braços,mas precisei de me agarrar à terapeuta e também que ela me ajuda-se a trancar o joelho esquerdo, em seguida tentei descer para o chão, destranquei em primeiro lugar o joelho direito e depois com a ajuda dos braços consegui descer, por fim tinha de me voltar a levantar, fiz o mesmo que anteriormente e já consegui melhor, não precisei de me agarrar tanto à terapeuta mas ainda precisei que ela me ajuda-se a trancar o joelho esquerdo. O esforço é muito grande e acabei cansado.

Voltei a ir sozinho para o corredor, mas como o piso estava um pouco molhado fui com bastante receio, dei os passos com segurança, bastante devagar e certamente não estavam a ser tão certos como têm sido, mas a segurança é muito mais importante e por isso limitei-me a ir com atenção para não cair.

Nas escadas hoje as coisas não correram tão bem, a terapeuta queria que eu subisse sem apoios fixos, eu tentei, esforcei-me mesmo muito mas não consegui, acabei por encostar sempre uma das canadianas à parede e ainda assim o receio não me estava a permitir fazer força na prótese esquerda, ao fazer força o corpo rodava e eu desequilibrava-me e isso tirava-me a confiança, ainda assim fui subindo degrau a degrau, muito lentamente e em alguns com a ajuda da terapeuta, nos últimos encostei as duas canadianas à parede e subi muito bem. A descida foi feita de costas e com as mãos nos corrimões , para treinar os movimentos que tenho de fazer ao subir, ainda que o trabalho do joelho esquerdo seja o oposto, tinha de o destrancar e puxar a prótese direita para trás, consegui com relativa facilidade, na próxima vez tenho de experimentar com pelo menos uma canadiana.

Agora durante uns dias vou estar de férias, por isso desejo a todos um Feliz Natal.
Muito obrigado
Norberto Mourão

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Fisioterapia - 17º dia (20 - 12 - 2010)

Olá a todos os visitantes do "Biamputado"

Hoje iniciou-se uma nova semana de fisioterapia e com ela veio a chuva, logo o meu treino ficou muito condicionado.

Comecei o meu treino nas barras, onde praticamente só treinei o equilíbrio, voltámos a fazer aquele jogo com as bolas e desta vez eu não estava no standing, o meu equilibro com as próteses já é muito razoável, mesmo fazendo movimentos repentinos para agarrar a bola, roda-la à volta da cintura num primeira fase e\ou à volta da cabeça numa segunda fase, sendo que começamos com uma bola pequena e de borracha e acabamos com uma bola de 2kg, mas hoje o jogo foi um pouco injusto, eu era o único que estava de pé todos os outros estavam sentados, mas para mim é muito melhor estar de pé.

Hoje andei pelo corredor sozinho, fiz o corredor todo para os dois lados, tinha a prótese esquerda um pouco rodada para fora e por isso já não consegui andar tão direito, ainda assim fui tentando controlar os movimentos do corpo e já consegui dar passos maiores com a prótese do lado direito, permitindo dessa forma andar um pouco mais rápido e sempre com atenção ao tamanho do avanço das canadianas.

Não cheguei a ir às escadas, o tempo era mais reduzido por causa da visita médica e por isso só fui à rampa, fomos quatro amputados ao mesmo tempo para a rampa, cada um com as suas dificuldades, eu subi-a sozinho sem qualquer problema, já me sinto bastante confiante, ao descer vim agarrado ao corrimão, a terapeuta estava com uma senhora amputada que tem bastantes dificuldades e por isso eu preferi começar a descer sozinho e agarrado ao corrimão, como seria de esperar correu bem a descida.

Para finalizar o meu treino só tive de me sentar na cadeira, hoje demorei um pouco mais a destrancar o joelho direito, quando o consegui destrancar acabei por me sentar de uma forma muito suave.

Muito obrigado a todos.
Norberto Mourão

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Fisioterapia - 16º dia (17 - 12 - 2010)

Olá a todos os visitantes do "Biamputado"

Hoje acabou a semana de fisioterapia, uma semana de sol em que foi possível treinar sem qualquer limitação relacionada com o piso molhado ou escorregadio, foi também a ultimo dia do estágio do terapeuta Tiago, desde já lhe deixo aqui um enorme agradecimento e lhe digo o que todos pensam, é um excelente profissional, ninguém naquele ginásio tem dúvidas disso e todos lhe desejam as maiores felicidades para o resto do curso e para a vida profissional, muito obrigado.

Comecei o dia a andar no corredor como tenho feito nos últimos dias, já me sinto muito bem a andar sozinho, os passos aos poucos vão ficando semelhantes, tanto no tamanho como na duração de cada um, depois voltei-me a sentar na cadeira sem qualquer apoio fixo, já me consigo sentar bem apesar de ainda demorar um pouco até o fazer.

O treino nas escadas hoje foi repartidas em duas partes:
- Primeiro nas escadas pequenas do ginásio, tentei subi as escadas baixinhas com as canadianas e sem apoio, não foi possível porque são bastante estreitas, depois desci pelas grandes também só com as canadianas, com bastante dificuldade e com apoio no lado direito acabei por as descer, ao subir coloquei uma canadiana no degrau de cima e outra no de baixo, fui conseguindo subir dessa forma embora com apoio nos dois lados, mas como já me sinto um pouco mais confiante sei que é uma boa estratégica para as subir, por último desci as escadas pequenas e correu bem.
- A segunda parte do treino foi nas outras escadas, tentei subir conforme tinha feito nas do ginásio, já se notam algumas melhorias, pois consegui subir apenas com uma das canadianas apoiadas na parede, ainda assim a meio das escadas acabei por me desequilibrar para a frente e tive mesmo de meter as mãos no chão, mas esse percalço não me impediu de continuar, subi até ao cimo e desci com as duas canadianas, tentei descer todos os degraus sem me agarrar ao corrimão, mas nuns degraus tive de usar uma pequena ajuda com o corrimão e noutros encostei-me ligeiramente à parede, ainda assim no meio consegui descer um sem me agarrar no corrimão e sem me encostar na parede usando apenas as canadianas, a evolução já é significativa em relação aos primeiros dias.

A rampa correu muito bem, subi muito bem e os passos já são maiores, também consegui descer só com as canadianas e num tempo muito menor, já não fiz tanta força com os braços e por isso não fiquei tão cansado.

No fim do treino e para a despedida do terapeuta Tiago, fui para as barras e tentei andar sem canadianas, como é normal ainda não consegui, no entanto agarrando as mãos dele eu já consegui andar, o apoio nas mãos dele chegou a ser bastante reduzido o que é um excelente sinal, só preciso mesmo de aumentar a confiança para conseguir andar sem qualquer apoio.

Muito obrigado a todos
Norberto Mourão

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Fisioterapia - 15º dia (16 - 12 - 2010)

Olá a todos os visitantes do "Biamputado"

Felizmente o céu tem estado limpo e por isso tem sido possível treinar em todos os lados, ginásio, corredor, escadas e rampa, tendo um treino completo as evoluções são mais significativas.

Hoje estive pouco tempo nas barras, já me sinto bastante confiante a andar e por isso prefiro deixar um pouco de lado o aquecimento nas barras e andar pelo corredor, mais uma vez andei até ao fundo do corredor e voltei para o ginásio, correu bem a minha caminhada e já foi mais rápida.

Tentei subir as escadas sem recorrer muito ao apoio lateral nas duas paredes, mas é complicado porque são estreitas, ainda assim reduzi a força nos braços para fazer mais força com a prótese esquerda, senti-me bem e por vezes o apoio lateral era bem menor. A descida voltou a correr bem como ontem, desci de uma forma segura, consegui transferir bem o peso para a prótese direita e assim destrancar o joelho esquerdo facilmente.

Voltei a treinar na rampa, consegui subir um pouco mais rápido e só com as canadianas, não preciso de subir encostado a uma parede ou mesmo ao corrimão, vou pelo meio da rampa, quando cheguei lá em cima tinha um objectivo em mente para a descida, passar só com as canadianas umas marcas amarelas que existem no chão (para os carros não estacionarem), no fim dessas marcas é quando a rampa começa a ficar mais inclinada e eu ainda não tinha conseguido, por isso hoje tinha esse objectivo, comecei a minha descida muito devagar, os meus passos nem chegam a ultrapassar o outro pé, o receio de cair é muito grande e ainda não é fácil transferir o peso para o lado direito, também faço muita força nas canadianas, mas lá fui andando aos poucos e não só passei as marcas como consegui descer a rampa toda, sempre só com as canadianas, apenas tive um percalço pelo meio, não estava a conseguir passar o peso para o lado direito e destrancar o joelho esquerdo, quando cheguei ao fundo a inclinação já era menor e por isso já parecia que estava a andar a direito, esta descida demorou cerca de 10 minutos, mas aos poucos tenho a certeza que vou ser mais rápido.

Já no ginásio tentei-me sentar na cadeira sozinho, hoje foi a primeira vez que consegui de uma forma suave, os médicos dizem que tenho tido uma boa evolução, principalmente nestes dias sem chuva em que posso treinar em todos os lados.

Muito obrigado a todos.
Norberto Mourão

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Fisioterapia - 14º dia (15 - 12 - 2010)

Olá a todos os visitantes do "Biamputado"

Hoje está um dia muito bonito, o céu limpo e o chão está seco por isso já pude ir treinar em todos os lados, acabou por ser um dia bastante preenchido e com experiências novas.

Comecei por andar no corredor antes do ginásio abrir, fiz o corredor todo para os dois lados, consegui controlar melhor o avanço da canadiana esquerda, permitindo dessa forma andar a direito, sem o corpo rodado para o lado direito.

No ginásio começou a minha primeira experiência, tinha de passar da cadeira para o chão e depois levantar-me. Consegui passar bem da cadeira para o chão, em seguida e com algum esforço meti-me de joelhos, por fim só me faltava levantar, mas aí começaram os problemas e acabei por não conseguir, ainda não sei qual é a melhor forma de o fazer e também ainda não tenho o equilíbrio e confiança necessários para fazer força na prótese e dessa forma meter-me de pé, uma vez que não foi possível meter-me de pé, passei do chão para a marquesa e fiquei sentado, depois tive de fazer o percurso inverso, passei da marquesa para o chão sem dificuldades e do chão para a cadeira experimentei algumas maneiras, nenhuma delas era muito segura e não estava a conseguir, pensei um pouco e vi qual seria a melhor forma de o fazer, agarrei com as duas mãos na cadeira, uma de cada lado e de costas para ela, aproveitei a força que consigo fazer com a prótese esquerda e levantei-me muito facilmente.

As escadas correram melhor que nunca, subi muito bem e quase sem fazer ajustes no posicionamento, a descida foi muito suave, todos os degraus seguidos e sem grandes paragens, consegui manter o tronco direito e dessa forma destrancar bem o joelho.

Como estava sol pedi para ir à rampa, consegui subir bem a rampa com as duas canadianas, sem qualquer receio e ainda ia na conversa, ao descer tentei mais uma vez só com as canadianas, mas ainda não foi possível, ainda assim já desci mais um bocadinho, mas quando a rampa fica um pouco mais inclinada mete um pouco de receio por isso desço o resto agarrado ao corrimão.

A outra experiência do dia foi ao sentar-me, não na cadeira mas na marquesa, encostei-me à marquesa e pensei em sentar-me dobrando os dois joelhos como fazia antigamente antes do acidente, para isso bastou-me apenas destrancar em primeiro lugar o joelho direito, apoiar bem as canadianas no chão e depois dobrar o joelho esquerdo, foi muito simples agora tenho de experimentar isso na cadeira.

Muito obrigado a todos e desculpem-me por ter feito um texto demasiado longo, mas não queria deixar nada de fora.
Norberto Mourão

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Fisioterapia - 13º dia (14 - 12 - 2010)

Olá a todos os visitantes do "Biamputado"


Hoje foi um dia normal na fisioterapia, cheguei um pouco tarde e por isso apliquei-me ainda mais.

Quando lá cheguei a prótese esquerda não estava encaixada, com a pressa acabou por sair por isso tive de a voltar a encaixar, felizmente consigo bem e não preciso de ajuda, depois disso andei nas barras durante um pouco e fiz o habitual treino de equilíbrio e de transferências de peso.

Andei sozinho no corredor grande, sempre muito concentrado e procurando sempre ter em atenção o tamanho dos passos, o avanço das canadianas e a rotação do corpo, para não andar um pouco de lado, consegui andar mais rapidamente e isso tornou a marcha mais normal, acabei por fazer todo o corredor em pouco tempo.

Subi as escadas sozinho, tive especial atenção na força e na colocação das canadianas, para tentar não me apoiar muito nas paredes e de certa forma imaginar que estava numas escadas mais largas, ainda não consegui subir sem esse apoio nas paredes e penso que não é possível naquelas escadas porque são estreitas. Para descer esperei pela terapeuta e pensei fazer uma experiência nova, tentar descer de frente, (tinha estado a pensar nisso enquanto esperava por ela),mas não foi possível, não consigo dobrar o joelho esquerdo de forma a apoiar a perna direita no degrau de baixo, por isso a única solução encontrada até agora é descer de lado, mesmo assim no último degrau tentei e consegui descer com as duas canadianas.

Sentei-me apoiado no standing e por isso consegui-me sentar de forma suave terminando dessa forma o meu treino de hoje.

Muito obrigado a todos.
Norberto Mourão

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Fisioterapia - 12º dia (13 - 12 - 2010)

Olá a todos os visitantes do "Biamputado"

Hoje o meu treino foi focado em grande parte nas escadas.

Comecei como tem sido hábito pelas barras, andei menos tempo e não fiz os exercícios com a bola, fiz um pequeno aquecimento e treinei um pouco o equilíbrio.

As escadas lá no ginásio são estreitas e eu encosto sempre as canadianas às duas paredes facilitando dessa forma a subida, no entanto, hoje a terapeuta disse-me que tinha-mos de treinar noutras mais largas e sem nenhum apoio fixo. Até às escadas fui andando bem mesmo a descer um passeio e a subir o outro junto às escadas, o problema veio a seguir, (é que sem pelo menos um apoio fixo não tenho confiança nenhuma e isso dificulta muito, faz mesmo a diferença toda), ajustei as canadianas e subi a perna esquerda para o primeiro degrau, depois "só" precisava de dar o impulso com a perna esquerda e fazer força com os braços, mas foi muito difícil, por muita força que fizesse parecia que estava com os músculos bloqueados, tudo devido ao receio, à falta de confiança, acabei por conseguir com a ajuda da terapeuta, o segundo degrau era mais alto e voltei a ter os mesmo problemas, ainda assim consegui mais rápido (mais de 2 minutos em cada degrau), o terceiro e o quarto já correram ligeiramente melhor, depois tinha de descer e as dificuldades aumentaram, tive mesmo de descer com uma das mãos num apoio fixo e continuo com o mesmo problema de sempre ao descer, tenho muitas dificuldades em destrancar o joelho esquerdo, preciso de o destrancar para conseguir apoiar a perna direita, enquanto isso não acontece sinto-me bastante inseguro, acabei por descer essas escadas e em seguida fui descer as outras do ginásio, como já as tenho descido mais vezes sinto-me mais confiante, a descida foi tranquila, consegui destrancar o joelho mais facilmente e a postura era mais correcta o que só prova que todas as minhas dificuldades se devem à falta de confiança, a solução é treinar muito e aumentar os níveis de confiança aos poucos.

Para acabar o dia só me faltava sentar na cadeira, consegui agarrar a cadeira com a mão esquerda e destrancar o joelho esquerdo, no entanto o joelho direito hoje não o consegui destrancar, por isso acabei por me desequilibrar para trás e sentar-me logo na cadeira, mas de uma forma bastante brusca, com treino vou conseguir sentar-me mais suavemente.

Muito obrigado a todos pelo vosso apoio.
Norberto Mourão

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Fisioterapia - 11º dia (10 - 12 - 2010)

Olá a todos os visitantes do "Biamputado"

Hoje foi o dia em que mais "brincamos" na fisioterapia e foi um dia muito preenchido.

Para o início do treino os terapeutas tinham algo preparado, um jogo com várias bolas, as mais pequenas de borracha em que algumas tinham picos que nos ajudam a segura-las e existiam duas bolas pesadas, uma de 2kg e a outra de 5kg. Eu fiquei no standing mas sem os vários apoios existentes nele, estava solto mas lá dentro para evitar cair, havia outros amputados que tinham as ortopróteses colocadas e também os terapeutas, o jogo consistia em passarmos aleatoriamente as bolas uns para os outros mantendo o equilíbrio, com isso ia-mos fazendo a rotação do corpo e transferências de peso para apanhar as bolas, começamos com as mais pequenas e terminamos com a de 5kg, ao fim de um bocado já passava-mos a bola muito rapidamente o que significava que já não nos estávamos a preocupar tanto com o equilíbrio e estávamos mais confiantes, foi muito bom para todos e conseguimos atingir os objectivos para os quais se destinava o jogo.

Depois do jogo estive a andar no corredor com o terapeuta, ele foi insistindo comigo no tamanho dos passos mas sobretudo em avançar as canadianas de forma idêntica, tenho sempre a tendência de avançar mais a canadiana direita do que a esquerda, por isso estivemos a tentar corrigir esse aspecto, fui andando pelo corredor e também andei num piso irregular de calçada que existe no hospital, embora andasse mais devagar consigui sem problemas.

Hoje foi possível voltar a treinar na rampa, o piso não estava escorregadio e por isso foi possível tentar subir, na última vez subi com uma mão no corrimão e a outra na canadiana, hoje já subi só com as canadianas e embora os passos fossem muito pequenos consegui subir, lá em cima aproveitamos para ir experimentar outras escadas, eram só três degraus mas muito mais largos e difíceis, não tinha o mesmo tipo de apoio e tive de estudar várias formas para as subir, quando encontrei a que me dava mais confiança tentei, à media que fui subindo o meu apoio do lado direito (apoio fixo) ia ficando mais baixo, isso aumentava as dificuldades mas consegui subir tudo, no entanto custou-me muito subir o último degrau. Descer ainda foi pior, não conseguia chegar com a mão ao apoio fixo e sem ele ainda não sou capaz, por isso o terapeuta decidi-o sentar-se e dessa forma eu já conseguia apoiar a mão na perna dele, era um apoio muito instável e foi muito difícil mas acabei por conseguir, nos outros degraus já me podia apoiar, o que tornou o resto mais simples, depois das escadas tinha de descer a rampa, tentei desce-la com as duas canadianas, embora tivesse a noção de que ainda não consigo decidi arriscar nos primeiros centímetros, até desci mais do que estava à espera, no entanto quando a inclinação aumentou agarrei-me ao corrimão e desci o resto sempre agarrado a ele, ainda assim já me senti mais confiante do que da última vez que tinha ido à rampa.

De volta ao ginásio só me faltava uma coisa que ainda não tinha conseguido, era sentar-me sozinho na cadeira, ontem apercebi-me que se agarra-se a cadeira com a mãe esquerda era mais fácil destrancar o joelho direito, tentei fazer isso e consegui mas sentei-me ainda de uma forma um pouco brusca, tenho de melhorar esse aspecto.

Foi um dia recheado, acabei já muito cansado mas com um sentimento de dever cumprido, nunca desisti e embora algumas das situações fossem muito complicadas acabei por conseguir ultrapassa-las.

Muito obrigado a todos.
Norberto Mourão

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Fisioterapia - 10º dia (09 - 12 - 2010)

Olá a todos os visitante do "Biamputado"

Hoje voltei a treinar com as minhas próteses.

Quando cheguei à fisioterapia as próteses ainda não estavam lá, por isso comecei a treinar os braços, mais precisamente os trícepes, preciso desses músculos muito fortalecidos para conseguir subir as escadas.

Quando as próteses chegaram estive a calça-las com a ajuda do terapeuta para ser mais rápido, depois andei um pouco nas barras e fui para as escadas, subi-as sozinho mas quando cheguei lá acima um dos médicos disse-me que era melhor eu não subir nem descer sozinho, fiquei um pouco frustrado mas compreendi, uma queda nas escadas é um risco muito grande, não só para mim porque me podia magoar, mas também para os fisioterapeutas porque lhes iriam perguntar porque é que ninguém me estava a acompanhar, no entanto eu só o faço porque já me sinto confiante. Já não as desci sozinho e também não correu tão bem mas tenho de continuar a trabalhar para poder melhorar a cada dia.

O feriado a meio da semana e não ter andado com as próteses durante dois dias acabou por me retirar um pouco da confiança que já tinha nas escadas, mas agora vou voltar a treinar muito para recuperar o pouco que perdi e se não chover durante o fim de semana vou treinar ainda mais do que o normal.

Muito obrigado a todos.
Norberto Mourão

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Fisioterapia - 9º dia (07 - 12 - 2010)

Olá a todos os visitante do "Biamputado"

O meu dia de hoje foi bem diferente do habitual e por isso cheguei mesmo a ponderar não escrever nada, no entanto iria ficar a faltar um dia aqui na contagem dos textos do blog relacionados com o treino desde que recebi as próteses.

A "queda" de ontem provocou a rotação da prótese direita e já não me permitiu andar mais, por esse motivo quando cheguei a casa, com a ajuda do meu pai e depois de ter falado com o Técnico da casa Ortopédica, tentamos rodar de novo a prótese e coloca-la na marca que tinha sido previamente feita pelo técnico, não foi uma tarefa muito fácil mas conseguimos, no entanto, ao apertar de novo a prótese a nossa chave ficou completamente dobrada e por esse motivo não me senti confiante para arriscar fazer o treino de hoje com as próteses, tendo-as deixado no hospital para o técnico as levar e acertar.

O treino de hoje foi muito físico, o terapeuta não me deu descanso nenhum, trabalhei todos os músculos possíveis e acabei muito cansado também fiz algo diferente a meio, agarrei numa das minhas canadianas que tem sensivelmente o mesmo peso que uma pagaia (remo utilizado na canoagem) e fui fazendo o mesmo movimento que se faz na canoagem, enquanto isso o terapeuta foi-me tentando desequilibrar aos poucos com pequenos toques nos ombros ou no tronco, à medida que fui fazendo isso acabei por "remar" mais direito e com menos desequilíbrios, foi um treino muito completo.

Este treino com a suposta pagaia foi feito a pensar num futuro breve pois pretendo começar a praticar canoagem o mais rapidamente possível, por esse motivo decidimos treinar já o movimento dos braços e tronco e também simular alguns desequilíbrios típicos do kayak. A minha decisão em praticar canoagem deveu-se sobretudo à Carla Ferreira, a nossa Campeã Nacional, que mais uma vez ganhou a prova dela no Sábado e eu fui assistir, foi ela que me convenceu a experimentar a canoagem, beijinhos para ela.

Quinta feira volto a fazer o treino com as próteses, a prótese direita já vai estar pronta e por isso já posso voltar a treinar sem receios.

Muito obrigado a todos por acompanharem a minha evolução e por todo o apoio que me têm dado.
Norberto Mourão

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Fisioterapia - 8º dia (06 - 12 - 2010)

Olá a todos o visitantes do "Biamputado"

Depois de um fim de semana no qual andei bastante tempo com as próteses, principalmente ontem, Domingo e dia de aniversário da minha sobrinha, hoje voltei à fisioterapia.

Hoje está a chover, por isso não comecei logo a andar sozinho no corredor, esperei pela abertura do ginásio e fui para as barras, andei lá durante algum tempo, voltei a fazer os mesmos exercícios com a bola e custou-me menos que na sexta-feira e também fiz os vários exercícios de marcha nas barras.

Nas escadas hoje decidi experimentar subir com as duas canadianas, em vez de subir com uma mão no corrimão e outra numa canadiana, a subida foi muito mais simples e acabei por subir até ao primeiro andar, fiz toda a subida sozinho, na descida pousei uma das canadianas e desci como tenho feito habitualmente, mas possivelmente porque estava sozinho não me correu tão bem,nos primeiros degraus precisei de me apoiar na várias vezes na parede, no segundo vão de escadas já lá estava o fisioterapeuta comigo, ainda assim nas primeiras também precisei de me apoiar na parede, já a partir de meio tudo correu normalmente, mas ao longo da descida fui percebendo o que estava a falhar, amanhã já tento corrigir todos esses pequenos pormenores que me retiram alguma confiança.

Depois das escadas fui andar no corredor grande, fui até ao fundo e ao voltar para trás apercebi-me que o chão estava muito húmido, por isso vim sempre só com uma canadiana e a outra mão veio sempre agarrada ao corrimão até não haver mais corrimão, em seguida, continuei a andar com as duas canadianas, mas eis que surgiu o primeiro grande imprevisto desta minha caminhada, uma das canadianas começou a escorregar lentamente, eu fiquei desequilibrado, a canadiana continuou a escorregar e eu comecei a pensar como é que me ia safar dessa, acabei por ter a sorte de estarem umas cadeiras à minha frente, consegui meter uma das mãos na cadeira e em seguida rodei todo o corpo para cima dela, completamente desamparado, mas felizmente fiquei sentado e não me magoei, foi um grande susto, tentei-me levantar novamente e consegui sem problemas, mas nessa altura reparei que a prótese direita ficou rodada, já não podia voltar a andar, nessa altura levaram-me a minha cadeira de rodas e já não pude fazer mais nada.

Amanhã já vai estar tudo normal, a prótese já voltou a ser acertada e amanhã vai ser finalizada pelo técnico.

Muito obrigado a todos por acompanharem a minha evolução.
Norberto Mourão

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Fisioterapia - 7º dia (03 - 12 - 2010)

Olá a todos os visitantes do "Biamputado"

Hoje quando cheguei ao Hospital ainda era cedo, o ginásio ainda não estava aberto e por isso decidi começar logo a andar, levantei-me da cadeira de rodas no corredor com a ajuda do corrimão e de uma canadiana, depois fui andando por lá até o ginásio abrir, nessa altura voltei-me a sentar na cadeira e fui para as barras. Para além de andar nas barras também fiz um novo treino de equilíbrio, eu ficava parado no meio das barras enquanto o fisioterapeuta me passava uma bola, passava para a frente ou para os lados e eu tinha de a agarrar e passar para ele, noutro exercício tinha de rodar a bola por trás das costas ou levantar os braços com a bola e voltar a passa-la para ele, o último exercício com a bola consistia em rodar o corpo e agarrar a bola, o fisioterapeuta nessa altura estava atrás de mim. Foram vários exercícios muito bons e que não só melhoravam o equilíbrio como também me obrigavam a transferir o peso para um ou para o outro lado.

Hoje fui sozinho até às escadas, consegui subir sem dificuldade, já consegui fazer o impulso na perna esquerda e puxar a perna direita para trás, foi uma subida rápida e sem percalços, na descida também correu tudo bem e já vinha a meio quando apareceu o Sr. Paulo Castanheira, técnico da casa ortopédica (Magumbo), ficou impressionado ao ver-me já a subir e a descer as escadas sozinho (diz que sou maluco :) ), só recebi as próteses no dia 18-11-2010 e com apenas 7 treinos na fisioterapia já são enormes os avanços.

De volta ao ginásio tentei-me sentar sozinho na cadeira, com as canadianas e sem o apoio em algo fixo (barras, standing ou corrimão), numa primeira tentativa só foi possível com um ligeiro apoio nas barras, numa segunda tentativa e já com o fisioterapeuta por perto também não consegui, tenho grandes dificuldades em destrancar o joelho direito e com o joelho trancado não é possível sentar-me, é algo que tenho de treinar bastante e tenho a certeza que em pouco tempo vou conseguir.

Muito obrigado a todos pelo vosso apoio.
Norberto Mourão

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Fisioterapia - 6º dia (02 - 12 - 2010)

Olá a todos os visitantes do "Biamputado"

Hoje foi um dia muito bom onde foi possível notar a evolução que tenho vindo a fazer ao longo destes dias em que tenho treinado com as minhas próteses.

Comecei a fazer um ligeiro aquecimento nas barras, andando para a frente, para trás e também para os lados, demorou cerca de 10 minutos, depois disso agarrei nas canadianas e comecei a andar no ginásio, em seguida atravessei o corredor grande sozinho, ao voltar para o ginásio decidi levantar uma das canadianas e andar só com uma, a outra mão ia apoiada no corrimão, consegui sem qualquer dificuldade e os passos acabavam por ser muito idênticos.

As escadas correram muito melhor que nos outros dias, enquanto os fisioterapeutas acompanhavam outro paciente na sua caminhada (era um senhor já com uma certa idade e com vários problemas de saúde), eu decidi arriscar e comecei a subir sozinho, subi os dois primeiros degraus sem grandes dificuldades, no entanto o terceiro foi muito complicado, tentei uma vez e não consegui, tentei uma segunda vez e também não foi possível, à terceira aconteceu o mesmo, depois de algumas tentativas falhadas decidi pensar um pouco e relembrar tudo o que já tinha feito no passado, depois dessa introspecção tentei outra vez e consegui sem dificuldade nenhuma, depois as outras até ao cimo foram simples. Na descida também correu tudo bem, voltei a descer de lado, já senti muito mais confiança no joelho esquerdo e também no apoio do lado direito quando assenta no degrau de baixo, fui descendo vários degraus até a um em que a fisioterapeuta me pediu para experimentar descer de costas, mas não é nada fácil, o joelho esquerdo ficava trancado e na descida como ainda não estava totalmente apoiado no degrau de baixo era muito difícil destrancar-lo, mas todas as experiências são úteis, mesmo que não venham a ser utilizadas no futuro.

Hoje como é quinta-feira foi dia de visita médica e acabei por me surpreender a mim próprio e aos médicos com a minha evolução ao nível do equilíbrio. Decidi ficar de pé (já o tinha feito uma vez com as próteses e as canadianas) enquanto os médicos iam passando por todos, mas hoje ao contrário de todas as outras vezes em que fiquei de pé encostado à parede com a ortoprótese e mesmo na vez que fiquei de pé já com as próteses, eu hoje não estava encostado a nada, não tinha as canadianas nas mãos e meti as mãos nos bolsos, isto só foi possível porque o meu equilíbrio assim como a minha confiança começam a ser muito grandes, fruto de um excelente trabalho de todos, mas principalmente do técnico da casa ortopédica que fez um excelente trabalho na construção das próteses e de todos os fisioterapeutas com quem já estive, todos eles me foram ensinando e corrigindo a postura.

Muito obrigado a todos.
Norberto Mourão

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Fisioterapia 5º dia (30 - 11 - 2010)

Olá a todos os visitantes do "Biamputado"

Hoje o meu dia de fisioterapia com a próteses correu muito bem, fiz mais alguns progressos.

Comecei como habitualmente pelas barras, andei para a frente, de costas costas e para os lados durante algum tempo, andar de lado ajuda bastante nas transferências de peso para um lado e para o outro, felizmente não tenho dificuldade para nenhum dos lados, andar para trás também consigo com alguma facilidade, no entanto com a perna esquerda é um pouco mais difícil, é curioso porque é a perna com a amputação mais reduzida, logo acima do joelho, mas a própria prótese não me dá muita liberdade para puxar a perna para trás, já com o lado direito não tenho qualquer problema e o movimento da anca é suficiente para puxar a prótese para trás. Andar para trás ajuda essencialmente na transferência de peso para trás e para a frente, já que é o mesmo movimento que fazemos ao andar normalmente para a frente.

As escadas hoje correram bem, finalmente consegui fazer o impulso que necessito para subir o degrau, até agora só com ajuda é que conseguia subir, nas últimas duas ou três escadas subi completamente sozinho e já não tive receio por causa do joelho esquerdo, agora já o vou conseguindo trancar sem estar completamente esticado. Ao desce-las tentei fazer o mesmo que ontem, consegui desce-las todas, no entanto hoje não correu tão bem, ontem sentia-me um pouco mais confiante, no último degrau o fisioterapeuta deu-me as duas canadianas para eu descer, mas não me senti nada confiante, estava com muito receio, acabei por descer mas bastante inseguro.

O meu dia de fisioterapia acabou no fim de tirar umas medidas aos braços e ao coto esquerdo, para ver (penso eu) a mobilidade de cada um dos membros, tanto o inferior como os superiores.

Não está a ser uma evolução muito rápida, mas pelo que me dizem tenho conseguido superar todas as expectativas, tenho também tentado fazer uma evolução muito segura e corrigir desde o início todas as más posturas que se vão adquirindo ao longo do tempo e que eu neste último ano agravei bastante ao treinar só com uma ortoprótese.

Muito obrigado por acompanharem a minha evolução.
Norberto Mourão

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Fisioterapia - 4º dia (29-11-2010)

Olá a todos os visitantes do "Biamputado"

Hoje foi mais um belo dia(tirando a chuva) de fisioterapia, aos poucos vou-me sentindo muito mais à vontade e isso hoje notou-se sobretudo a descer as escadas.

O meu treino começou nas barras como tem sido habitual, fui andando para os dois lados, treinando as diagonais e respectivas transferências de peso, entretanto comecei a andar pelo corredor pequeno, como estava chover não deu para andar no corredor grande (tornava-se muito perigoso porque o chão estava molhado), também não foi possível ir à rampa, por isso acabei por ir logo para as escadas, mais uma vez a subida foi muito complicada, ainda não consigo subir sem ajuda, tenho dificuldades em trancar o joelho esquerdo e em puxar a prótese direita para trás, para que não fique preza no rebordo do degrau e dessa forma colocar as duas ao mesmo nível, ainda assim consegui subir todas e já não demorei tanto tempo. Na descido tudo foi diferente, ainda não consigo descer a direito (de frente), mas já consigo descer um pouco de lado, sem me encostar à parede e até consegui descer os últimos sem qualquer auxilio do fisioterapeuta, no entanto preciso sempre de estar com a mão esquerda no corrimão e a direita com uma canadiana.

Depois das escadas fiz apenas um fortalecimento dos braços com alguns exercícios nas barras e treinei durante mais algum tempo as transferências de peso assim como o equilíbrio.

Muito obrigado a todos os visitantes do "Biamputado".
Norberto Mourão

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

3º dia de fisioterapia com as próteses

Olá a todos os visitantes do "Biamputado"

Hoje foi mais um dia de fisioterapia, o 3º desde que tenho as próteses, neste 3º dia já consegui melhorar um pouco a postura, assim como as transferências de peso e a rotação da bacia.
Comecei por andar nas barras, relembrar o que já tinha aprendido e tentar fazer de uma forma mais natural, acabei por conseguir mas com a ajuda do fisioterapeuta fui treinando as transferências de peso e corrigindo a rotação da bacia, depois comecei a andar com as canadianas pelos corredores, é mais difícil porque não me sinto tão seguro e por isso estou sempre muito concentrado para não errar e dessa forma cair.
As escadas foram o passo seguinte, com grande esforço e com muita ajuda lá as fui subindo todas, mas já comecei a perceber o que tenho da fazer para as conseguir subir em segurança, na descida as coisas também não são melhores, tenho muitos desequilíbrios , ainda não consigo descer de frente por causa da prótese direita que não me permite dobrar o suficiente, tento descer de lado mas tenho muito receio de dobrar o joelho esquerdo porque fico completamente desamparado, ainda não é nada fácil, mas aos poucos vou lá chegar.
Também fui à rampa , ontem tinha tido uma experiência muito complicada numa rampa com apenas cerca de 50cm, precisei do apoio do meu pai para a conseguir subir e descer, por isso hoje pedi para ir à rampa, subi com uma mão no corrimão que existe ao lado da rampa, o corrimão dava-me estabilidade e a canadiana ajudava no impulso, no cimo da rampa já não precisava de agarrar o corrimão, apenas precisava de ir mantendo a mão encostada sem grande apoio, a descida foi muito mais difícil, tenho de ter muito mais controle nas transferências de peso e isso implica mais confiança, por enquanto ainda não tenho, mas acabei por descer a rampa sem grandes problemas, no entanto precisei sempre de ma agarrar com firmeza ao corrimão.

Foi assim o meu 3º dia de fisioterapia, preciso de melhorar muitas coisas, mas outras já se nota que têm melhorado bastante. Muito obrigado por irem acompanhando a minha evolução e por todo o apoio que me têm dado.
Norberto Mourão

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

A aventura das escadas

Olá a todos os visitantes do "Biamputado"

A aventura das escadas já (re)começou, depois de alguns meses nos quais fui aprendendo a subir e a descer as escadas com a ortoprótese, era só uma no lado esquerdo e para além disso o joelho era trancado.

As próteses tornam tudo diferente, já tenho dois apoios e são os dois articulados o que torna a marcha mais normal, mas também mais arriscada em algumas situações como subir e descer escadas.
A primeira experiência com as próteses nas escadas não correu propriamente como estava à espera, as dificuldades para subir são muito grandes, tanto ao nível da força para me elevar como no equilíbrio, tenho de reaprender a fazer tudo, as diferenças com a ortoprótese são enormes. Ao descer já é diferente, torna-se um pouco mais fácil, mas a falta de confiança ainda é muito grande, a prótese do lado direito também não me dá a mobilidade necessária para descer as escadas, a sua estrutura é rígida em toda a volta e isso não ajuda na inclinação do corpo para poder apoiar as canadianas no chão, no entanto ajuda bastante para andar a direito.
Esta foi só a primeira aventura nas escadas, outras viram a seguir, assim como na rampa também.

Muito obrigado a todos os visitantes do "Biamputado".
Norberto Mourão

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Treino com as próteses

Olá a todos os visitantes do "Biamputado"

Hoje foi mais um dia de treino com as próteses, ao poucos tenho conseguido evoluir, mas não é fácil.

Tenho de aprender várias movimentos, movimentos esses que são naturais com as "nossas" pernas, mas com as próteses ainda não conseguem ser, estou-me a referir às transferências de peso de uma prótese para a outra, controlar o tamanho dos passos para que sejam semelhantes e também tenho de aprender a fazer os movimentos na diagonal que permitem um andar mais correcto e menos esforçado para além de ajudar nas transferências de peso.
Não tem sido fácil, no entanto, já consigo fazer algumas coisas ,como é o caso das diagonal para o lado esquerdo e respectiva transferência de peso, para o lado direito também já vou conseguindo mas o passo acaba por ser mais pequeno, por isso tenho de rectificar o tamanho do passo do lado esquerdo, pois é mais simples devido a ser uma amputação mais curta, conseguindo dessa forma avançar sem dificuldade com a prótese.

Agora vou actualizando o "Biamputado" todos os dias, a cada dia que passa vão existindo algumas melhorias e novas experiências, algo que não se verificava no passado enquanto só treinava com a ortoprótese, uma vez que cheguei a um patamar que já não era possível evoluir mais.

Muito obrigado a todos os visitantes do "Biamputado"
Norberto Mourão

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Uma manhã bem passada na companhia de outras pessoas com dificuldades em andar.

Olá a todos os visitantes do "Biamputado"

A cada dia que passa a minha confiança vai aumentando. No Sábado fui a um encontro muito interessante com várias pessoas que têm muitas dificuldades em andar, outras não conseguem andar.
Fui convidado para esse encontro para mostrar como é possível andar com as próteses, mas foi arriscado por dois motivos:
- Primeiro porque ainda não tinha andado com as canadianas, à excepção daquele bocadinho em casa na sexta-feira quando trouxe as próteses, andei na rua sozinho, senti-me muito bem.
- Segundo porque andei junto à água da piscina, o piso estava molhado por isso corria o risco de uma das canadianas escorregar, mas o importante foi sem dúvida dar uns passos e dessa forma todos verem que é possível voltar a andar, mostrar a minha força de vontade e coragem para o fazer.

O resto da manhã foi passada já dentre da piscina, numa primeira fase a nadar e depois a fazer umas das coisas que mais prazer me dá, canoagem, andei muito tempo no kayak, andei sozinho, aprendi a controlar melhor a pagaia, também já consigo controlar o Kayak nas curvas assim como em linha recta e felizmente não tenho grandes desequilíbrios, nunca caí na água :)

Muito obrigado a todos.
Norberto Mourão

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

O primeiro dia do resto da minha vida

Olá a todos os visitantes do "Biamputado"

Hoje, dia 18 de Novembro de 2010 tem sido um dia excelente, o dia em que finalmente recebi as minhas próteses, estou radiante por finalmente as ter recebido e pelo trabalho feito pela casa ortopédica (Magumbo em Lisboa).

Em Setembro começou-se a construção das próteses, foi um processo muito moroso dada a complexidade da minha situação física, recordo que do lado esquerdo perdi a perna acima do joelho (transfémoral) e do lado direito perdi toda a perna (desarticulação da anca), por isso foi necessário fazer um trabalho muito complexo, que ia desde os moldes numa fase inicial até ao movimento das duas próteses depois de terminadas, por forma a não haver uma fricção entre as duas próteses e eu poder movimentar as duas sem mais dificuldades do que aquelas que a minha situação já implicava.

Foi um trabalho que eu acredito que deu muito prazer a todos, a mim porque finalmente recebi as próteses, ao Sr. Paulo Castanheira(Técnico) e toda a equipa dele porque o trabalho foi excelente e correu muito bem e por fim a todos os médicos que me viram hoje pela primeira vez com as próteses e eu dei lá uns passas nas barras.

Este dia não podia acabar melhor sem fazer mais uma das minhas aventuras, até hoje ainda só tinha andado nas barras, tanto na casa ortopédica como hoje no hospital, mas como amanhã não há fisioterapia devido à cimeira da NATO eu precisava de continuar a treinar, só existe uma forma para eu treinar sem ser nas barras do hospital, é treinar com canadianas, por isso decidi trazer as minhas canadianas para casa e assim que cheguei a casa meti-me em pé e comecei a andar com as canadianas (a terapeuta que me desculpe, mas eu não podia ficar parado um fim de semana inteiro :)), correu muito bem para uma primeira vez e sem ser com alguém experiente ao lado.

Muito obrigado a todos os visitantes do "Biamputado"

Norberto Mourão

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Entrevista para o " Esta Jornal"

Olá a todos os visitantes do "Biamputado"

Saiu esta semana a entrevista que eu deu a uma amiga minha para o "Esta Jornal", que é um jornal de Abrantes. Nessa entrevista falei um pouco sobre o que me aconteceu, como tem sido a minha evolução e o que pretendo fazer no futuro.

Vejam a entrevista completa e vão acompanhando a minha evolução, prometo ter notícias para muito breve, notícias essas relacionadas com a construção das próteses.

Para lerem a entrevista basta clicarem no título, vai abrir a página do "Esta Jornal"

Muito obrigado a todos.
Norberto Mourão

terça-feira, 26 de outubro de 2010

JOÃO SILVA,FOTOGRAFO PORTUGUÊS FERIDO COM UMA MINA NO AFEGANISTÃO

Olá a todos o visitantes do "Biamputado"

Hoje não venho falar sobre mim, venho por causa de uma notícia que me marcou bastante, um trágico acidente com uma mina no Afeganistão ferio com gravidade um fotógrafo português.
"Em África do Sul, o fotógrafo de guerra é conhecido pela sua paixão. Acompanhou todo o período violento do apartheid até à democracia. Agora, João Silva voltou a surpreender. "Aqueles que o conhecem não ficaram surpreendidos ao saber que, durante esta provação, ele continuou a fotografar", disse Bill Keller, editor-executivo do "The New York Times". "O João sofreu ferimentos muito graves nas pernas, entre outras feridas, mas ele é extraordinariamente forte e tem um espírito indomável", acrescentou.

Segundo o diário norte-americano, os médicos conseguiram assistir o repórter segundos depois da explosão. Fizeram torniquetes, administraram-lhe morfina e colocaram-no dentro do helicóptero. João Silva foi operado na base da NATO de Kandahar, tendo depois sido transferido para Cabul, onde o examinaram antes de ser evacuado para o hospital das Forças Armadas Norte-americanas na Alemanha. É a este hospital que chegam muitos feridos de guerra das forças norte-americanas e aliadas.

Esta informação foi retirada do JN

Olhando para tudo o que tenho passado desde o meu acidente, acabo por ter uma percepção do caminha a percorrer por este nosso camarada, vai ser um longo caminho e espero poder ajuda-lo de alguma forma no futuro, nem que seja apenas contando-lhe a minha história e dando-lhe força para que continue, pois a vida não acabou ali, ainda temos muito para viver e para aprender.

Do fundo do meu coração desejo as mais rápidas melhoras ao nosso camarada João Silva.

Muito obrigado a todos
Norberto Mourão

terça-feira, 19 de outubro de 2010

A fase mais aguardada

Olá a todos os visitante do "Biamputado"

Nestas últimas semanas começou uma das fases mais aguardadas neste percurso até voltar a andar, trata-se da construção das próteses.
Para já pouco posso falar acerca do assunto, mas a minha felicidade é tanta que não consigo guardar só para mim. Neste momento já estão as duas próteses construídas, já experimentei as duas,embora apenas uma de cada vez, ainda não chegou o dia de experimentar as duas ao mesmo tempo, mas penso que o dia já será amanhã, estou muito ansioso.
Tanto a esquerda como a direita encaixam na perfeição, sinto-me muito bem com elas e até sinto que se estivesse com as canadianas já iria conseguir andar. O caminho vai ser muito difícil, as duas próteses vão ter joelhos articulados e a ortoprótese de treino tem o joelho trancado, vai ser muito difícil adaptar-me a eles, assim como controlar os passos dobrando-os, mas vai ser uma fase muito boa, onde vou reaprender a andar e a ter o controlo dos joelhos.

Quando a construção estiver acabada irei colocar aqui no blog algumas fotos das próteses, assim poderão ver como são, também irei meter outras já comigo em cima delas e com uma roupa mais normal, para que possam ver que não irá existir diferença entre o passado e o futuro.

Muito obrigado a todos.
Norberto Mourão

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Faz hoje um ano

Olá a todos os visitantes do "Biamputado"

Hoje faz um ano que tive o acidente, foi no dia 29\09\2009.

A minha vida mudou radicalmente, foi e ainda está a ser muito complicado, mas felizmente tive os meus amigos e familiares ao meu lado, a darem-me muito apoio e eu fui conseguindo ultrapassar todas as dificuldades que foram aparecendo.
Comecei a fazer fisioterapia, a evolução foi excelente desde o inicio, comecei por fazer exercícios na marquesa, depois meteram-me em pé ao fim de dois dias, foi uma sensação incrível, uma enorme alegria, uns dias depois comecei a dar os primeiros passos, fui sempre conseguindo fazer o que me pediam, a confiança aumentou muito e mesmo quando cheguei a um ponto em que pensava para mim próprio, já não existe mais nada que eu possa fazer, já faço tudo, estava errado, pois, o que pensava ser impossível acabava por se tornar num novo desafio, mais uma vez voltava a conseguir à primeira tentativa, embora fosse com muito medo, mas nunca desisti. Hoje foi mais um dia em que isso voltou a acontecer, desci as escadas sozinho, os meus braços tremiam na primeira escada, não era do esforço, mas sim do medo, do receio de cair, de não conseguir descer, na minha cabeça só me começava a passar um pensamento, desistir e esperar pela fisioterapeuta, mas a persistência acabou por ser maior, mais uma vez não desisti e dei o passo e frente,é certo que demorei mais tempo do que das últimas vezes, mas foi muito mais gratificante.

Obrigado a todos

Norberto Mourão

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Inicio da nova fase

Olá a todos os visitantes do Biamputado

Nestas últimas semanas a minha recuperação tem-se mantido estável, o treino nas escadas tem vindo a progredir aos poucos, a confiança já é muito maior e até já tenho permissão para subir as escadas sozinho, o resto do treino faço muito bem, já ando pelos corredores e pelas rampas do hospital sozinho.

Como diz o título, hoje iniciou-se uma nova fase na minha recuperação, pois bem, hoje fui fazer o molde para a primeira prótese, vai ser a do lado direito, o lado que tem a desarticulação da anca. Uma vez que eu treino todos os dias com uma ortoprótese do lado esquerdo, já estou habituado àquela altura e já tenho equilíbrio, desta forma tornou-se fácil para mim ficar parado e para o Senhor da casa ortopédica fazer o molde para o lado direito. Esta molde irá agora ser preparado, irei ser novamente chamado para experimentar a prótese daqui a cerca de 15 dias, nesse dia também se vai aproveitar para fazer o molde para o lado esquerdo, caso corra tudo como está planeado. A prótese para o lado esquerdo será mais simples, por isso deverá demorar cerca de uma semana.

Quando todo este processo da construção estiver completo irei começar a fazer treino de marcha com as duas próteses, vai ser muito bom para mim, pois irei poder voltar a andar "normalmente", no inicio com bastantes dificuldades, mas irei trabalhar arduamente para conseguir andar bem e sem canadianas, pois esse é o meu objectivo.

Muito obrigado a todos.

Norberto Mourão

terça-feira, 15 de junho de 2010

Mais um enorme passo na minha recuperação

Olá a todos os visitantes do Biamputado

Hoje foi um dia muito importante para mim. Já à bastante tempo que andava a fazer o treino nas escadas de madeira, cerca de quatro degraus com um tamanho normal, à medida que o tempo tem vindo a passar tenho também vindo a ganhar mais confiança, foi essa confiança que me levou a pedir hoje à fisioterapeuta para experimentar subir as escadas que vão dar ao primeiro andar, seria impensável e mesmo hoje pensei que não fosse conseguir, uma vez que as escadas têm um rebordo que sai cerca de 1,5cm, esse rebordo prejudica em muito a minha subida, pois é feita sempre com o pé da ortoprótese encostado à escada, o que leva a que o mesmo fique preso nesse rebordo, não passando desta forma para o degrau de cima, a solução que eu encontrei na minha primeira tentativa foi tentar puxar a ortoprótese para trás e posteriormente para cima, felizmente consegui. Já lá em cima eu pensei que fosse subir o outro vão de escadas para depois descer pelo elevador, mas a fisioterapeuta disse-me para dar a volta e descer as escadas, estava com muito receio, olhar lá de cima para o fundo das escadas era mesmo assustador, mesmo para colocar apenas as canadianas no degrau de baixo foi complicado porque estava com muito receio, mas como nunca fui pessoa de desistir, fui em frente e consegui descer as escadas.
foi muito importante tem conseguido subir e descer aquelas escadas, agora já posso dizer que já faço tudo o que os outros amputados de apenas uma perna conseguem fazer, a luta tem sido enorme, tenho conseguido ultrapassar todas as dificuldades e só pretendo parar quando voltar a andar sem canadianas.

Obrigado a todos os visitantes do Biamputado

Norberto Mourão

sábado, 5 de junho de 2010

Mais uma vitória para o Biamputado

Boa tarde;

tal como referido na introdução deste blog, ele é fruto de uma parceria entre Norberto Mourão e Olinda Guedes. Surgiu fruto do trabalho realizado na unidade curricular Laborátorio de Relações públicas e publicidade na UTAD, Vila Real. Depois deste esforço surgiu finalmente a avaliação da respectiva disciplina - 17 valores. É sem dúvida uma vitória para o blog, para os seus visitantese para nós os seus criadores.

Estamos de parabéns Norberto, estamos de parábens.....


Olinda Guedes

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Retirada do questionário à psicóloga Sónia Pinote

Olá a todos os visitantes do Biamputado.

É com muita tristeza que me vejo forçado a retirar o questionário à psicóloga Sónia Pinote.
Esta retirada prende-se com questões burocráticas, questões essas que tentarei resolver o mais breve possível e que se devem à necessidade de pedir uma autorização ao centro hospitalar para que os questionários sejam respondidos e publicados. Tanto os médicos, como a psicóloga, assistentes sociais e fisioterapeuta estão ligados ao hospital e dessa forma não poderão responder a qualquer tipo de perguntas que venham a ser publicadas sem terem uma autorização prévia para o fazer.

A intenção deste blog é a de contar a minha história, assim como informar as pessoas que estejam a passar ou possam vir a passar por situações semelhantes.

Muito obrigado a todos e desculpem-me pelo sucedido.
Norberto Mourão

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Subir e descer as escadas normais

Olá a todos os visitantes do "Biamputado"

Deixo-vos hoje mais um vídeo, no qual me podem ver a subir e a descer as escadas normais, ainda é muito difícil, mas já vou conseguindo.



Espero que tenham gostado, em breve voltarei a fazer outros vídeos.

Muito obrigado a todos.

Norberto Mourão

domingo, 16 de maio de 2010

Serviços hospitalares

Como utente de um serviço de Saúde Publico, venho prestar algumas declarações quanto ao serviço prestado na Medicina Física e Reabilitação do Hospital de S. António dos Capuchos. O serviço para amputados, o que melhor conheço é um dos melhores na prestação dos cuidados necessários.

Sendo uma amputação sempre traumática para quem a sofre, existe uma equipe multidisciplinar que trata o doente, dando-lhe o apoio que necessita conforme a situação.

Uma amputação não escolhe idades e, por isso, encontram-se crianças que, geralmente sofrem de doenças congénitas ou apresentam ausência de membros; nos jovens, que geralmente sofrem acidentes graves; nas pessoas de meia idade sofrendo de acidentes traumáticos e infecções crónicas e os idosos que sofrem de diabetes com grangena, ou tumores malignos. Por tudo isto nos propomos dizer algo sobre este assunto de que fui protagonista e encontrei companheiros cujas amputações foram resultantes de todas estas situações.

Todos iniciamos com uma consulta de avaliação e onde são receitados os primeiros tratamentos conforme a necessidade, que pode ser proveniente de outras doenças, de que o doente é portador. Geralmente todos são dirigidos para o ginásio onde começam por fazer exercícios de levantamento dos membros inferiores e exercícios de fortalecimento dos membros superiores; seguem-se tratamentos com mangas de aperto para redução dos cotos e em caso de necessidade ultra-sons para inflamacções que existam. Depois, segue-se treino de marcha com ortoproteses e, finalmente massagens com creme e enfaixamento dos cotos. Os tratamentos são efectuados, por terapeutas com especialização especifica e auxiliares que nutrem muito carinho e dedicação pelos doentes, de modo que, já não existe profissional e doente, mas apenas dois amigos cujo trabalho tem a mesma finalidade, que é uma recuperação o mais completa possível, com mais ou menos duração, no tempo. Diariamente, os médicos visitam os seus doentes, informando-se do seu estado de saúde durante o tempo que estiveram fora do hospital, procurando resolver qualquer situação anormal, nem que seja preciso encaminhar para outros profissionais de saúde, consultas ou exames diagnósticos. Todo este interesse leva o doente a sentir-se bem e a confiar plenamente em quem o acompanha, nestes momentos tão dolorosos para a sua vida.
Quem precisa de transporte também lhe é fornecido pelos serviços hospitalares ou centros de saúde. Ao meu grupo calhou o serviço prestado pela ambulância da Fresénius, cujos tripulantes Luís e Daniel nos deixaram saudades que são para toda a nossa vida, pois a maneira afável de nos tratarem a alegria que nos transmitiam ao longo do percurso feito até ao hospital e na volta para casa nunca poderemos esquecer.

Quando chega a altura do receituário das próteses o tratamento passa a ser outro, pois inicia-se o processo de marcha, com meios auxiliares adequados, andar em passadeiras, subir e descer escadas, subir e descer rampas, caminhar em piso liso e no exterior, a fim de deixar o doente o melhor preparado possível para a vida do novo dia a dia.

Achamos que, em traços largos deixamos descrito, como é o dia a dia de um doente amputado,( de um ou dois membros), nesta Instituição de Saúde Pública da cidade de Lisboa.

Anderson

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Crónicas da paulito - "Deita cá para fora" (crónica 4)

O sistema de saúde em Portugal é uma autêntica anedota, isto porque, se gastam milhões em coisas sem importância e não se pensa que este dinheiro poderia servir para outras coisas.
Vejam só a festa que foi feita ao Sr. Papa Bento XVI? Nada contra e respeito todos os crentes, agora o que não entendo é o motivo por ser ter gasto quantias exorbitantes para que este senhor visite o nosso país. E paramos só porque ele vem cá? Então esse dinheiro todo não poderia reverter para a reconstituição de algumas unidades de saúde que apresentam inúmeras dificuldades? Pois se estávamos mal, agora estamos bem pior com a quantia que saiu do nosso governo para este evento gigantesco que não lhe encontro qualquer tipo de explicação.
As queixas por parte dos utentes acerca do nosso sistema de saúde são inúmeras, mas são raras as vezes que lhes prestam atenção.
Os médicos fazem o que querem, pois todos nós sabemos o tempo que temos de esperar que eles cheguem e, se decidirem sair a meio de uma consulta eles fazem-no. Não estou a generalizar, apenas a basear-me em situações pessoais e outras que tenho presenciado.
As listas de espera nos hospitais não terminam, não temos médicos, os enfermeiros são poucos e fazem greves atrás de greves, as maternidades fecham, isto são exemplos das inúmeras situações degradantes que se vivem no nosso país. Obrigam assim os utentes a usufruírem de serviços privados caríssimos e que muitos deles não conseguem pagar. Chegam a pedir empréstimos para pagar um direito do cidadão que é o direito à saúde. Isto é normal? Obrigam-nos a pagar o que temos e o que não temos para que tratem de nós?
Há muito para mudar. São necessários mais apoios aos utentes, pois ninguém tem culpa de adoecer ou que lhe aconteça algo e, se somos uma sociedade, devemos apoiar-nos uns aos outros. Logo o nosso governo devia apostar mais na saúde, em apoios psicológicos, físicos, isto é, dar ajuda aos utentes a todos os níveis, especialmente aos mais desfavorecidos. Não devíamos gastar as poucas economias que nos restam em eventos sem utilidade imediata, dar atenção ao que realmente nos faz falta. Se todos ajudarmos, um passo de cada vez fará toda a diferença.
Nunca é demais darmos atenção às necessidades básicas do nosso país.

Celeste Maria Pinheiro Pereira
Licenciada em Ciências da Comunicação
A frequentar o II ciclo de estudos em Ciências da Comunicação UTAD

terça-feira, 11 de maio de 2010

Biamputação vista pelas crianças - alguns desenhos

Olá a todos; seguem três desenhos feitos por uma criança. O principal objectivo desta iniciativa foi demonstrar que para as crianças não existe preconceito nem descriminação.Para ela a biamputação não é nada de relevante e aos seus olhos sou uma pessoas igual a tantas outras.


Image and video hosting by TinyPic



Image and video hosting by TinyPic



Image and video hosting by TinyPic


Estes três desenhos foram feitos pela minha sobrinha, Tatiana Mourão

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Glossário de termos

Para os nossos leitores fica aqui um "esmiuçar" de alguns termos ligados a amputação de membros:

Amputação é a perda de um membro, ou parte dele, caracterizado pela perda ou comprometimento do osso, do feche neurovascular, do tecido muscular, das funções do membro, das sensações distais, refletindo sobre a imagem corporal e desempenho funcional” (Spencer, 2000).

A maioria das amputações resulta de trauma, doença vascular periférica (DVP), doenças vasoespasticas periféricas, infecções crônicas, lesões químicas, térmicas ou elétricas e tumores malignos ou de acidentes, muitos deles de cariz rodoviário. A decisão de amputar um MS pode ocorrer em resultado de uma lesão grave ou completa do plexo braquial.

As amputações dos membros superiores ocorrem em menor número que as dos membros inferiores, provavelmente por serem estas últimas ocasionadas por grande número de alterações vasculares.

Amputação funcional - É a amputação necessária, com o objetivo de proporcionar o melhor potencial para a reabilitação e eventual protetização, esta deve ser funcional e dar atenção distinta aos diferentes tecidos.

Candidatos ao uso de protése - A idade da pessoa, o estado clínico, o nível de amputação, a cobertura de pele, a condição da pele, o estado cognitivo e o desejo de uma prótese são fatores importantes ao tomar a decisão.

A informação sobre prótese e o programa de reabilitação devem ser providenciados antes da amputação, quando possível porque depois os medicamentos e a ansiedade podem interferir na capacidade da pessoa de processar novas informações. Uma discussão em equipe que inclua o paciente é vital para determinar se será feito uma prescrição para prótese ou não.

PROBLEMAS MAIS COMUNS RELATIVOS AO COTO DE AMPUTAÇÃO

· Sensação fantasma – os pacientes com amputação adquirida têm alguma forma de sensação fantasma que pode ser definida como experiência não-dolorosa na parte amputada. Essa sensação é máxima num curto período após a amputação, tendo sua intensidade diminuída com o passar do tempo, porém em alguns casos pode persistir por toda vida.

Pode ser difusa ou localizar-se em um determinado território correspondente a um nervo periférico.

· Dor fantasma – Atinge cerca de 5%da população amputada, sendo que alguns autores referem que aproximadamente 75% sentem essa queixa em algum período após a amputação. Pode se usar remédios e técnicas de relaxação para o controle da dor.

· Dor no coto de amputação – pode ser causada por má distribuição de força no encaixe (socket) da prótese, por pressões excessivas aplicadas sobre tecidos moles ou ainda decorrentes de neuroma doloroso.

· Neuroma doloroso – o tecido seccionado pode formar um neuroma (é uma inflamação de um nervo constituído pelo depósito de células e fibras nervosas na extremidade do nervo amputado gerando dor intensa) que pode tornar-se doloroso se estiver em contato com a pele.

· Alterações dermatológicas – causados por processo alérgico e falta de hidratação.

· Espículas ósseas – (proliferação óssea a partir da manipulação do periósteo na extremidade do coto) formado por coto mal revestido com tecido, quando causador de dor ou resultem em drenagem requerem cirurgia.


Para mais informação acerca da amputação de membros podem consultar http://tocupacional.wordpress.com/2008/08/10/amputados-de-membros-superiores-mmss/ (um excelente blog acerca da terapia ocupacional e cuja autora é Eliana Queiroz)

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Biamputação vista pelas crianças

Bom dia seguidores do Biamputado;

o nosso/vosso blog pretende lançar brevemente uma nova iniciativa: convidar crianças a desenhar o Norberto. O objectivo é simples: ver de que forma as crianças veem a biamputação. Desde já tenho uma certeza: as crianças são muito mais simples que nós os adultos e com certeza para elas ser biamputado ou não pouca diferença faz...vamos esperar pelos resultados!

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Crónicas do Paulito - Deita cá para fora - Crónica 3

Escrevo este texto na madrugada do dia 28 de Abril. Este facto pode parecer inconsistente no contexto deste blogue, porém faz toda a diferença… pelo menos para mim e neste momento em particular.
Hoje a minha querida e linda filha de 3 anos e meio não foi atropelada por, atrevo-me…, milímetros. Naquele momento fiz… flash forward à vida. Vi, imaginei (sei lá!?) coisas que nunca havia pensado antes e que não quero aqui e agora reproduzir, mas que ainda me abalam algumas horas depois. Não obstante, refiro-me a algo que, felizmente acabou por não acontecer, mas que me deixou perfeitamente transtornado. E se tivesse acontecido? Como reagiria? A quem atribuiria a culpa? Como seria a vida da Maria a partir daquele momento? E a minha e da minha mulher?
Quando a Olinda Tuna, minha aluna na unidade curricular de Laboratório de Publicidade e Relações Públicas do curso de Mestrado de Ciências da Comunicação da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, e no âmbito do trabalho de avaliação que teve que realizar para a referida unidade, sugeriu realizar um blogue… tive as minhas reticências, confesso. Não devido à natureza do formato do artefacto comunicativo a desenvolver, mas pelo conteúdo a explorar. Porém rapidamente interiorizei que o “cliente” poderia ser perfeitamente o Norberto Mourão, e, porque não, trazer uma causa social para a academia? E, porque não, conseguir que ela funcione na prática? Qualquer cliente aposta na comunicação esperando daí obter os respectivos benefícios em função dos objectivos que se propôs alcançar. E por isso, a sugestão da Olinda, para além de adequada aos objectivos da disciplina… é nobre! O Norberto, certamente, nunca nos seus piores pesadelos pensou em puder vir a estar biamputado. Mas está!
Desde os primeiros momentos até aos dias de hoje deve ter vivido na certeza de um futuro incerto, e é com gestos singelos, aliados à ciência, que o Norberto poderá ultrapassar esta situação na medida do razoável e emocionalmente possível.
Do meu teclado, já gasto pelo uso, escrevo: Força Olinda! E que essa força se reveja na qualidade do trabalho a desenvolver; que contagie o Norberto e que este blogue seja parte activa da sua motivação e recuperação, e nos traga de volta para a sociedade um homem igual aos demais, que um teve um dia… um dia infeliz, mas que tem muitos dias pela frente para ser… feliz!
Álvaro Lima Cairrão
Professor da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Evolução nesta última semana de fisioterapia

Olá a todos os visitantes do Biamputado

Desde já peço desculpa pela falta de informação nos últimos tempos, mas tenho andado com outro tipo de problemas que me têm deixado sem vontade nenhuma de escrever.

Como já é do vosso conhecimento, eu já andava a treinar só com as canadianas nas escadas pequenas, subir e descer, como é visível no último vídeo que fiz lá no ginásio. Nestes últimos tempos comecei a subir as escadas grandes, felizmente consegui subir sem grandes dificuldades, no entanto é inevitável encostar as canadianas aos corrimões nas duas primeiras escadas, uma vez que elas acabam por se tornar um pouco estreitas, esse problema deixa de existir na ultima, pois consigo encostar-me mais ao lado direito e dessa forma não necessito apoiar as canadianas.
Hoje foi a vez de as tentar descer, ao inicio foi complicado, ao colocar as canadianas na escada de baixo, sentimos uma grande inclinação no corpo e o medo sente-se muito mais, cheguei mesmo a pensar que não iria conseguir, mas a fisioterapeuta deu-me força e segurou-me, para o caso de algo correr mal. O meu medo devia-se ao facto de não ser possível endireitar o corpo e isso interferia muito na força que tinha de fazer para me chegar à frente e descer o degrau, se descesse e não fosse possível endireitar o corpo o desequilíbrio seria muito grande e a possibilidade de uma queda seria muito elevada. Felizmente tudo correu bem, fui ganhando confiança, acabou por ser mais fácil do que o que eu previa, subi e desci esses três degraus três vezes, agora falta-me ganhar confiança ao ponto de conseguir subir e descer sozinho.

Prometo voltarei a escrever sobre o meu treino com a mesma frequência que fazia.

Obrigado a todos

Vídeo sobre a minha história

Olá a todos os visitantes do Biamputado.

Neste vídeo conto como aconteceu o meu acidente, de onde eu vinha, para onde eu ía, como aconteceu e as consequências, também falo da minha reabilitação.





Muito obrigado
Norberto Mourão

terça-feira, 27 de abril de 2010

Crónicas da paulito - "Deita cá para fora" (crónica 2)

Ainda há muito para fazer no que se refere ao bom funcionamento do Sistema de Nacional de Saúde. Não é novidade que toda a gente revela queixas relativas ao nosso Sistema de Saúde! Existem pessoas que nem a um simples médico de família têm acesso! Tantas falhas, tantas lacunas! São as longas listas de espera para uma simples consulta de Medicina Interna, as longas listas de espera para cirurgias, a falta de médicos, a falta de enfermeiros, a falta de outro pessoal especializado nesta área, enfim.
O Sistema de Saúde não consegue dar resposta a todas as necessidades dos portugueses. Embora já muito tenha melhorado, há ainda mais para fazer! Mas a mudança começa a partir de nós próprios. Há que lutar pelos direitos e pela manutenção das necessidades dos cidadãos de modo a garantir uma sociedade mais justa, onde os doentes se possam sentir seguros e que vejam resolvidos ou pelo menos atenuados muitos destes problemas, que qualquer um de nós de uma forma ou de outra já se deparou no dia-a-dia.
No caso das pessoas que sofrem acidentes ou que por qualquer outra razão ficam de um momento para o outro muito limitados, como são os casos apresentados no blog, as necessidades são mais que muitas, e como tal o Estado devia prestar mais atenção e ajudar! Ajudar no sentido da recuperação, quer a nível físico, como por exemplo fisioterapia sem qualquer custo, como a nível do apoio psicológico; e ajudar no sentido monetário também, porque as dificuldades são inúmeras!
Há muito para fazer, há muito para alterar! Mas se cada um de nós der mais atenção ao Outro, se cada um de nós ajudar um bocadinho já é um grande passo!
É importante começarmos todos e agora!!!

Marisa Rocha Santos, Licenciada em Ciências da Comunicação

terça-feira, 20 de abril de 2010

Crónicas da paulito - "Deita cá para fora" (crónica 1)

Depois de várias semanas de árduo trabalho, conseguimos atinguir o nosso principal objectivo - levar o "Biamputado" e a sua história a boca de muita gente. No entanto, o nosso trabalho não termina aqui, queremos que cada vez mais e mais pessoas conhecam a história do Norberto e a divulgem e que este exemplo de vida seja uma força para aquelas que passam pelos mesmos problemas.
Ao contactar directamente com outros casos de biamputação cresci enquanto ser humano. Inicialmente não fazia ideia que tanta gente passa-se por este flagelo e isso assustou-me. Mas passa. Seja devido a acidentes rodoviários ou qualquer outra razão. Chocou-me e ainda choca, saber que estas pessoas se vêm muitas vezes abandonadas à sua própria sorte. Muitas ficam impedidas de trabalhar e com a bola de neve do seguro nas mãos - o estado português deixa-os desta forma "orgulhosamente sós". E apesar de tudo isto, ainda existem pessoas com força suficiente para continuar a sua batalha diária e acredito que um dia ainda vão ganhar a guerra da vida. É por isso que sou tão tua amiga Norberto. Viste a areia correr-te por entre os dedos e nunca fraquejas-te e mais do que cada um de nós, os ditos "normais" sabes o que o valor da vida vale. Simplesmente estas pessoas não desistem porque disistir nunca foi a sua palavra de ordem. E agora vamos reflectir acerca de nós: temos uma vida normal, temos trabalho, temos saúde, temos amigos, temos um carro, temos uma familía...enfim temos tudo para ser felizes. Mas para nós há sempre alguma coisa que fica a faltar, somos insaciavéis...Estranho, incompreensível e difícil de explicar.
Provavelmente cada um de nós deveria passar pelo menos cinco minutos de biamputação e talvez conseguisse reflectir acerca de tudo isto.
Moral da história: vamos pensar pois a insegurança de hoje pode ser a certeza de amanhã e vice-versa...
Ontem assustei-me. Mas hoje tenho a certeza que estou neste projecto para vencer. Porque se fosse comigo também gostava que me ajudassem. E tu? Vais ignorar?


Olinda Guedes Tuna, Licenciada em Ciências da Comunicação, Mestre em Relações públicas e publicidade

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Continuação do treino nas escadas

Olá a todos os visitantes do "Biamputado"

Dando seguimento ao treino que tenho vindo a realizar nas escadas e tal como tinha prometido anteriormente, foi filmado mais um vídeo. Nesse vídeo mostra apenas um pouco do treino, no entanto já é perceptivel a evolução, pois já consigo subir e descer as escadas pequenas só com as canadianas.

Espero que gostem e que continuem a seguir a minha evolução.
Muito obrigado a todos.

Entrevista com o Anderson

O Anderson é outro jovém que sofreu um grave acidente no qual sofreu a amputação da perna e do braço esquerdos, multiplas fraturas na perna direita e traumatismo crâneo-ensefálico entre outras coisas.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

"Mais anjinhos iguais ao Norberto" - o caso de José Monteiro

José Monteiro é um dos muitos exemplos de amputação, "Mais um anjinho igual ao Norberto". Sofreu um acidente de moto e mesma assim confessa que esta é a paixão da sua vida. Numa curta entrevista, ele conta-nos um pouco da sua história.

Biamputado - Conta-nos um pouco do teu percurso. O acidente surgiu em que altura? Como aconteceu?



José Monteiro - Meu nome é José Luis, tenho 33 anos e moro no Algarve, mais concretamente nos arredores de Lagoa, trabalhava como segurança/porteiro. Desde que me conheço como gente que sou um apaixonado por motos, desde os meus 16 que as possuo. É um modo de vida por assim dizer, os convívios, os passeios, as viagens, as concentrações… e foi também de moto que tudo aconteceu no dia 21 de Setembro de 2009 pelas 20:10h. Quando vinha do trabalho para casa, ao efectuar uma ultrapassagem com espaço suficiente e como tantas outras que tenho feito ao longo da minha vida, o carro que seguia em sentido contrário deu uma guinada e veio bater-me de raspão tendo me atingido na perna esquerda. Resultado foi a fractura do fémur, fractura da tíbia e perónio, múltiplas fracturas no pé e tornozelo.





B- Como tem sido a tua recuperação? Quais os passos que tens realizado?



JM - Fui transportado para o Hospital de Portimão, e segui de urgência para o hospital de S. José em Lisboa, devido à gravidade das fracturas do pé e do tornozelo.

A primeira operação em Lisboa foi a mais longa cerca de 8 horas, as dores maiores sempre estiveram no pé, pois tal como o tornozelo, tem demasiadas fracturas (esmagado) e sempre me doeram. A melhor forma de as evitar é mantendo a perna sempre elevada de modo a não inchar. Em S. José ainda efectuei uma cirurgia plástica, de onde tiraram pele para colocar no pé. Estive quase 3 meses internado em Lisboa, até ser transferido pela seguradora, para uma clínica particular em Faro, no Algarve. Na clínica, no dia 9 de Dezembro, fiz logo uma primeira cirurgia de modo a retirar o fixador externo, que tinha no fémur e colocar uma chapa no interior da perna foi para mim um alivio. Fiquei apenas duas semanas internado e mandaram-me para casa, claro que numa cadeira e muito limitado pois a perna não pode estar para baixo devido ao inchaço e as dores que provoca.

A recuperação tem sido muito lenta, muito por causa de uma zona da perna onde tiraram pele, para colocar no meu pé esfacelado, chamada parte dadora. Essa zona tem a pele muito fina e devido a eu não poder andar em muletas e estar sempre com a perna apoiada, volta e meia abre uma ferida, que tem sido a principal razão de adiamento da próxima cirurgia. Depois de muito estudo e de consultados diversas opiniões médicas, tanto de ortopedistas e cirurgiões plásticos, decidiram que este pé e tornozelo já não eram nada e que seria a minha sina dali em diante. Nada que eu já não estivesse à espera, pelo que ficou decidido optar pela amputação abaixo do joelho e colocar uma prótese. Neste momento continuo esperando a cirurgia de amputação, apenas a pele tem de ficar mais consistente de modo a não haver complicações.

B- Alguma vez te revoltas-te contra esta situação?



JM - Para ser sincero preferia que não fosse necessário, mas de entre ficar com uma perna inútil ( ter que andar sempre com canadianas devido a um pé e tornozelo sem funcionalidade) ou fazer a amputação de modo a ter uma maior qualidade de vida com uma prótese? …acho que não há muito por onde escolher.

Se me revolto com esta situação? ... em parte acho que sim, pois foi uma estupidez de acidente que eu podia ter evitado, mas como diz o outro, está feito, não há volta a dar…agora é tentar ficar na melhor situação possível.

B- Já foste vítima de descriminação? Conta-nos alguns casos.



JM - Não posso dizer que tenho sido vítima de descriminação, porque saio muito pouco de casa neste momento, pois nem sol convém apanhar na ferida.

As minhas saídas têm se resumido às idas à clínica privada para efectuar pensos e consultas com os médicos, pelo que não tenho ainda sentido a descriminação…mais tarde podemos falar mais concretamente sobre esse tema.

B- Tens recebido algum tipo de apoio para a recuperação? Material, humano e psicológico.



JM - A nível psicológico o único apoio que tenho é apenas da minha família, e amigos…

A nível monetário ou financeiro, passado cerca de um mês e meio depois do acidente, o seguro de trabalho assumiu todas as despesas, tendo recebido desde então uma percentagem do ordenado, e sou acompanhado por médicos e clínicas indicados e pagos por eles.

B- Achas que algum dia voltarás a ser feliz? És feliz?



JM - Vou ser…não estou feliz neste momento pois já estou farto de andar na cadeira e ter de ter sempre o pé para cima, o que me limita muito, mas assim que for operado as coisas vão mudar. Claro que feliz mesmo, vai ser quando puder voltar a andar de moto, algo que quero mesmo voltar a fazer.

B- A nível profissional consideram que ainda podes ser útil para o nosso país? Que tipo de actividades pretendes realizar no futuro?



JM - A nível profissional é lógico que posso ser útil, tenho tudo o que é importante no lugar, a cabeça, quanto ao que pretendo realizar não tenho pensado muito nisso. Pensando bem ainda nem me lembrei bem disso, pois a pressa de querer voltar a andar acho que me ocupa maior parte do tempo.

B- Uma mensagem final para quem te quiser conhecer melhor?



JM- Sou uma pessoa simples e de bem com a vida, espero poder voltar às motos o quanto antes, e aproveitar mais a vida do que tenho aproveitado até então.

B- E o Norberto. Fala um pouco da relação que possuis com ele.



JM - Com o Norberto é uma boa relação de amizade, o Norberto é um exemplo e uma força da natureza, pois a situação dele é bem pior que a minha e acaba por ser ele a dar-me mais força do que o contrário.

Tivemos os acidentes com a diferença de uma semana, tivemos ambos internados no mesmo hospital, falei a primeira vez com o Norberto, cerca de uma semana ou uma semana e meia depois, de ele ter vindo para a enfermaria. Foi quando soube o que se passou e que tinha sido de moto. Se é motard, tem que ser boa pessoa…hehehe.

É um gajo porreiro e com bom coração e uma força de viver que poucos possuem.



Obrigado.

"Biamputado" agradece a tua colaboração e faz votos de uma rápida e pronta recuperação. Com certeza, brevemente, vamos encontrar-te bem e em cima de uma mota. Sonhos concretizam-se e nos acreditamos no meu...Até Lá....

sábado, 10 de abril de 2010

Mais três anjinhos iguais ao Norberto

Olá amigos do biamputado;

hoje vamos iniciar mais um ciclo de entrevistas. No entanto, desta vez resolvemos pesquisar outros casos parecidos com o do Norberto. Ficámos espantados como existe um grande número de pessoas com o mesmo problema e que passam por isto sozinhas sem o auxilio de ninguém, refiro ESTADO PORTUGUÊS, ou SEGURANÇA SOCIAL (que prefere dar o rendimento social a pessoas desempregadas "porque assim o entendem", e se esquece de quem realmente carece delas). Enfim, perdoem-me o desabafo...Brevemente "Mais anjinhos iguais ao Norberto"...

quarta-feira, 31 de março de 2010

Evolução da minha recuperação

Olá a todos os visitantes do "Biamputado"

Aos poucos sinto que se vai notando a minha recuperação, embora esta seja muito lenta, mas tendo em conta as grandes limitações, já consigo fazer coisas que para muitas pessoas seriam impensáveis.
Nesta semana o treino tem sido mais intensivo nas escadas, tenho subido e descido: uma primeira vez com apenas uma canadiana e a outra mão no corrimão, na segunda subida já faço só com as canadianas, a dificuldade é muito maior, pois não tenho um apoio fixo. No entanto hoje consegui subir as escadas pequenas sozinho, a fisioterapeuta não necessitou de me auxiliar em termos de equilíbrio. Já na descida das escadas as coisas são bem mais complicadas, mas tem-se notado uma pequena evolução, já comecei a descer as escadas todas, embora com excepção da última, onde sinto necessidade de colocar pelo menos os dedos no corrimão para me equilibrar. Sei que é uma questão de postura e de confiança, mas por enquanto ainda não consigo, no entanto na última escada já consigo descer sozinho, sem qualquer problema ou hesitação.
Se a minha evolução nas escadas continuar a este ritmo, talvez na próxima semana ou na outra a seguir faça um novo vídeo para vos mostrar.

Obrigado a todos
Norberto mourão

sexta-feira, 26 de março de 2010

Treino nas escadas

Olá a todos;

Hoje continuei a fazer novos progressos no meu treino nas escadas.
Como tinha dito no outro dia, eu tinha tentado subir as escadas só com o apoio das canadianas e com o acompanhamento da fisioterapeuta, mas tinha sido muito difícil, a cada escada que subia, quase caía, tinha sempre bastante desiquilibrio porque o pé subia encostado à escada, o que provocava alguma pressão e em seguida a projeção do pé para a frente causando grandes desiquilibrios.
Hoje voltei a tentar, a primeira consegui subir e não tive um grande desiquilibrio, a fisioterapeuta fez apenas um pequeno ajuste, para eu me equilibrar. Nas escadas seguintes fui-me lembrando de um truque que aprendi nos meus tempos de escola, nas aulas de educação fisica, (sempre que tentavamos saltar por cima do cavalo ou mesmo no trampolim, deveriamos olhar em frente, para conseguirmos manter o equilibrio e saltarmos direitos), pois foi baseado nesse truque que tentei subir a segunda escada e posteriormente as seguintes, consegui subir as 8 escadas(pequenas +\- 5cm) e na maioria não necessitei da ajuda dos ajustes da fisioterapeuta.
A minha confiança está muito maior, com muito treino e determinação, talvez consiga brevemente subir as escadas com as duas canadianas e sem a ajuda da fisioterapeuta, nessa altura gravarei um novo video para pôr aqui no Blog e no meu canal do youtube.

Obrigado a todos pelas visitas.
Norberto Mourão

quinta-feira, 25 de março de 2010

Novo video já está disponivel

Olá a todos os visitantes do blog;

Como tinha prometido ontem, que em breve iria filmar um novo video no meu treino nas escadas, hoje esse video foi filmado :)

Foi apenas um treino normal, em que apenas subi e desci as escadas agarrado a um corrimão e a uma canadiana. Fica para mais tarde um outro onde usarei as duas canadianas pois por agora ainda não consigo. No entanto a experiência de ontem fez-me ganhar mais confiança, hoje subi e desci muito bem as escadas,quase sem hesitações como podem comprovar no video.

Obrigado a todos.

Norberto Mourão

quarta-feira, 24 de março de 2010

Dia de nova experiência

Olá a todos os seguidores do meu blog;

Hoje foi um dia em que tentei algo de novo. Já à algum tempo que consigo subir escadas, no entanto no inicio subia e descia agarrado aos dois corrimões das escadas, mais tarde com uma canadiana numa mão e a outra mão agarrada ao corrimão, nos ,ultimos tempos já conseguia subir e descer tanto com a canadiana numa mão, como a seguir na outra mão, no entanto hoje foi o dia de tentar subir sem estar agarrado ao corrimão, usando só as canadianas, foi muito dificil, se a fisioterapeuta não estivesse lá, tiria sido ainda pior, só não caí porque me agarrei ao corrimão e ela também me agarrou, mas ainda assim fui conseguindo levantar o corpo todo de maneira a subir a escada, mas fazia muita força e como o pé da ortoprótese estava sempre encontado à escada, assim que passava para cima ía rapidamente para a frente, o que me causava muito desiquilibrio, apenas subi umas 4 escadas baixinhas (cerca de 5cm de altura). Mas o mais importante foi conseguido, levantar o corpo apenas com o auxilio das duas canadianas, o que me deixou muito feliz apesar de quase cair a cada escada que subia, ainda assim não ganhei medo :)

Estou a pensar fazer um video lá nas escadas, assim que estiver feito sera colocado no youtube e também aqui no blog.

Obrigado a todos pelas visitas que têm feito ao Blog;

Norberto Mourão

terça-feira, 16 de março de 2010

O primeiro dia depois das "férias"

Olá

Hoje voltei ao trabalho depois das mini férias, foi um dia de readaptação à ortoprotese, pois esta tinha ido para arranjar, já que eu a tinha partido numa das vezes em que estava a treinar com ela.
Foi um pouco complicado, a outra com que andava e que aparece no meu 3º video não tinha um pé,logo o ponto de equilibrio é diferente, esta já tem, a estabilidade é muito maior, no entanto eu estava com receio de avançar com o pé para a frente, o que estava a provocar um cansaço extra na zona lombar, mas felizmente consegui apanhar o jeito e já estava a correr tudo muito bem, incluindo a subir e a descer as escadas que temos no ginásio para treinar.

Obrigado pela visita, espero que tenham gostado

sábado, 13 de março de 2010

Ciclo de entrevistas...

Boa noite;

hoje iniciámos uma série de entrevistas, onde serão revelados mais alguns aspectos da vida do Norberto desde que teve o acidente até agora (a sua recuperação). Estas entrevistas serão brevemente colocadas no blog e espero que ajudem a sensibilizar-vos para o problema. Acidentes acontecem a todos nós...uns têm mais sorte que outros... mas cabe a cada um de nós contribuir/ajudar o outro. Uma das questões que teci ao Norberto foi "Consideras-te deficiente ou achas que a deficiência se encontra na cabeça das pessoas?" Não vou revelar a resposta....mas dá que pensar...julgar o outro, ter pena dele, enfim...não será mais uma faceta egoista do homem?! Dá que pensar! ....

Olinda Guedes Tuna

sexta-feira, 12 de março de 2010

Um pouco de mim....



Olá a todos, vou contar-vos um pouco da minha história desde o meu acidente.

No dia 29 de Setembro de 2009, eu vinha do trabalho em direcção a casa, faltavam apenas 10 curvas, mas tive a infelicidade de ter apanhado a tinta branca de uma passadeira, nessa altura a roda traseira da mota fugiu totalmente, em seguida voltou a agarrar e a sacudir a traseira para o outro lado, eu saltei do banco agarrado ao volante e acabei por ficar em cima do depósito da mota, com o volante a tremer muito e a fugir para o lado esquerdo da estrada, indo embater nuns pinos de betão que serviam para os carros não estacionarem no passeio.
A minha perna direita ficou logo amputada(desarticulação da anca) pelo volante da mota assim que a roda dianteira bateu no 1 pino de betão, depois a perna esquerda bateu directamente no 3º pino e ficou também amputada, embora esta no inicio apenas abaixo do joelho, no entanto teve de ser cortada acima do joelho, pois o joelho ficou completamente desfeito.
Tive a sorte de ser socorrido por excelentes profissionais, dos quais destaco principalmente a equipa dos Bombeiros Voluntários de Camarate, também estiveram no acidente um médico e um enfermeiro da VMER do Hospital de São José. Importa lembrar que durante todo este tempo estive consciente e felizmente sem dores.
Quando cheguei ao Hospital já tinha o Bloco Operatório preparado para me receber, a operação durou 6 horas.
Contra todas os prognósticos dos médicos(na melhor das hipóteses cerca de um mês e meio a dois meses só nos Cuidados Intensivos), estive apenas 7 dias nos Cuidados Intensivos e cerca de um mês na Infermaria, ao certo desde o dia 29\09\2009 até ao dia 05\11\2009.
Neste momento faço fisioterapia no Hospital dos Capuchos, onde sou acompanhado por uma equipa excelente composta por médicos, fisioterapeutas, assistentes sociais e psicóloga. Os resultados têm sido excelentes como poderão confirmar nos videos que se encontram aqui no blog.

Norberto Mourão

1º video da recuperação

quinta-feira, 11 de março de 2010

Biamputado - Considerações iniciais

O ser humano possui uma tendência incompreensível para julgar aquilo que aos seus olhos aparece como diferente....hoje sou a diferença no meio de tantos que são iguais. Não me envergonho disso...luto e tenho a certeza que posso sobreviver. Este blog é uma réstia de esperança....é compartilhar o que tantas vezes circula no meu coração...é um alerta para a prevenção rodoviária...é um pedido de ajuda....Surgiu como um projecto universitário, mas é algo que eu desejava desde que tive o acidente...quero que saibam porque estou assim e quero acima de tudo ajudar todos aqueles que passam e passaram pela mesma experiência...

Norberto Mourão
Olinda Guedes Tuna

Acerca de mim

Lisboa/ Vila Real, Camarate/ Mondrões, Portugal
Como já se aperceberam, a minha situação infelizmente é muito complicada, tenho um longo e árduo caminho pela frente, caminho esse cheio de grande dificuldades, não só a nível físico como também financeiro, por isso peço ajuda a quem estiver interessado em contribuir com alguma coisa, por pouco que seja, para esta minha nova realidade...